24/03/2015

Presentes a recém-nascidos que não os nossos

Quando um bebé está prestes a nascer, uma das maiores preocupações é o enxoval. 
A família e os amigos querem  visitar o bebé, dar miminhos, oferecer roupinhas e aqui acabam sempre por suceder uns pequenos problemas.
Quando a minha princesa mais velha nasceu, eu delirei com tudo o que era roupinha que estava na berra, os folhinhos, os conjuntos de princesa, mas bastou o primeiro mês para mudar redondamente de ideias.
Depois os presentes, que ela recebeu tantos e alguns ficaram no armário até hoje com etiqueta.

Portanto uma ajudinha a todos vós que gostam de presentear bebés dos vossos amigos.

1. Não tenham vergonha de perguntar à mãe os gostos:

Gostos não se discutem e a cavalo dado não se olha o dente, mas o gosto da mamã para vestir os seus rebentos é muito pessoal. Se não sabem o que escolher, escolham peças com padrões clássicos ou cores neutras. 
Das melhores roupas que tenho guardadas e que vou reaproveitar foram dadas pela minha boss, que sempre escolheu peças super simples e com um delicado gosto, desde chapéus até vestidos.
Em vez de fazerem figura de ursos, perguntem concretamente à mãe o que falta, o que mais gosta, se existem cores riscadas do mapa.
Eu com a L. pedi, implorei para não me "entupirem" a menina de cor de rosa. Particularmente gosto de ver meninas em tons de branco, lilás, verde lima, etc. Existem tantas cores bonitas, porquê vestir as meninas de rosa da cabeça aos pés? Credo! 
A primeira roupinha foi da Knot, bodie branco de cruzar, babygrow branco com bolinhas cor de salmão.
A primeira roupinha da T. vai pelo mesmo caminho, se o percentil for semelhante ao da irmã, leva a mesma roupinha ou uma parecida.

2. Por favor, não pressionem as mães a vestir o que lhe ofereceram.

Os presentes vêm com contrato de uso com direito a fotos? Não, pois não? Têm noção da pressão que uma mãe sente? Os filhos são nossos, somos nós que os vestimos, não são Nenucos e se não pensaram no primeiro ponto, arriscam-se a que as roupas fiquem guardadas.

3. Perguntem a data do parto e façam contas às estações do ano:

É um amor ter uma princesa que nasce nos meses mais quentes, mas se vamos oferecer uma roupinha mais quente, façam contas a 6 meses pelo menos. Tenho roupas penduradas no armário para 6 meses que a fofa não vai puder usar, porque os 6 meses calham precisamente em Janeiro e das duas uma, ou ganho o Euromilhões e vou viver para um país tropical ou a roupa fica para a próxima gaiata que nascer.
Gostam de comprar no outlet e viram um conjunto para um 12 meses amoroso? Eu também adoro outlet. Compram-se valentes pechinchas e no caso dos 12 meses é comprarem a peça consoante o mês que a criança nasceu.
O tempo está parvo? Simples! Prefiram os algodões tipo jersey para babygrows e outras roupas, é mais fácil colocar um casaquinho de malha por cima.

4. O que é nacional é bom:

Existem tantas marcas portuguesas, pequenos negócios, com bons materiais e preços bem mais agradáveis. Little Ely, DOT, Knot, Maria Café, etc.
Existem artesãs com verdadeiras mãos de fada, como a Puqui Plim ou a Histórias de Algodão
Tenho uma lista num caderno com as minhas marcas preferidas, ou peças que vi e gostei. É tão bom ver roupinha "Made in Portugal", com bom gosto e de algodão orgânico.
Já tenho algumas peças novas para a fofa da Little Ely, o ovo da mais velha vou "renovar" com forra da Maria Café e os sogros deram um babygrow lindo da Knot para as noites mais frias.

5. Escolham o mais prático:

Verdade das verdades, os bebés sujam-se imenso nos primeiros meses. Os cocós então é quase até ao pescoço, o xixi sai por todo o lado quando os despimos e nos primeiros tempos é o pão nosso de cada dia com as idas ao pediatra, centro de saúde, etc.
Eu adoro ver aqueles bebés tipo capa de revista, com roupinhas maravilhosas, mas acho que todas as mães nos primeiros meses dão preferência a roupas práticas, até porque andamos sempre com uma a duas mudas atrás no saco.
É muito giro ter roupas lindas, mas normalmente mamãs como eu deixam isso mais para o fim-de-semana. Poupa-se imenso no detergente e poupam-se as costas a passar a ferro!

6. Se não sabem o que fazer:

Vouchers ou cheques prenda são sempre uma boa opção. Fraldas (de vários tamanhos), consoante a marca preferida da mãe também são uma ideia a considerar.

7. Last but not least:

Companhia! Lógico que o primeiro mês,sejam um bocadinho recatados e deixem a mãe e o pai aproveitar o recém-nascido, mas companhia e ajuda são sempre um óptimo presente para qualquer mãe. Nunca admitimos, mas toda a ajuda é algo maravilhoso.

Importante: Peçam sempre talões de troca, per favore!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Bring it on!