18/02/2015

Trash TV



Quando se está em casa sozinha e com um comando na mão é impossível não resistir à "trash tv".
Há uns anos atrás o TLC até dava umas séries interessantes mas nos dias que correm quase nenhum se aproveita.
Confesso que volta e meia vejo uma série totalmente pirosa que é o "My Big Fat American Gypsy Wedding", que relata as relações entre ciganos nos Estados Unidos da América.
A cultura cigana lá é um pouco diferente da que eu tenho conhecimento em Portugal, mas tem algumas semelhanças no que toca a comportamento do homem e da mulher na relação.
Quando vivia em casa da minha mãe, um prédio normal em Oeiras numa das melhores zonas, descobrimos que tínhamos uma família cigana a viver por baixo de nós. Isto, quando a mãe enviuvou e a partir daí, não foi um inferno, mas imaginem estarem a dormir e serem acordados com música aos altos berros de tal forma que o vosso colchão treme.
Em relação ao programa não sei o que é pior, se os vestidos de noiva com 35 kilos (cobertos de milhares de cristais Swarovski)  que dão cabo do corpo das mulheres ao ponto de terem de colocar ligas à volta das ancas para não ficarem com nódoas negras, as discussões entre ciganos e gadjós, a mentalidade homem vs. mulher, a moda das mulheres, o namoro, a escolha dos homens com quem querem casar aos 14 anos e as sogras a controlarem a lida da casa (WTF???).
Também existem factores que me incomodam, como o facto de as mulheres ficarem em casa sem fazer nenhum, não terminarem os estudos e os homens podem fazer o que quiserem, até trair a mulher que é próprio dos homens, portanto nenhum mal lhes acontece.
Também vejo algumas diferenças, como as mulheres casadas usarem micro vestidos, quando por cá a mulher cigana quando se casa tem de usar saias compridas.
Também me faz impressão a discriminação, quer a cigana ou o cigano se casa com alguém que não faz parte da etnia até mesmo quando se trata de bebés inocentes.
Tudo isto é parte de uma cultura e tem que se respeitar mas faz-me imensa confusão.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Bring it on!