22/10/2010

O belo mundo da competição...

De facto o meu bom amigo M., já me tinha avisado que a competição a sério na Faculdade iria começar após as notas do primeiro teste escrito, fosse ele de que disciplina fosse.
Eu não tenho bola de cristal, mas podia ter, talvez pela corrente que o meu ex-namorado que era médium me passou, tenho sensações que podiam não passar disso mesmo, mas que por norma acertam na mouche.
Não sei o que se passou, a sério que não sei, mas também não estou na cabeça de toda a gente para saber os seus desejos, os seus problemas, as suas frustrações.
A estreia foi no teste de Economia que resultou numa rodada de negativas, uma razia de "zeros" e de "cincos" e positivas houve muito poucas.
Eu tive um "dez" e juro por todos os santos que não compreendo como é que despejando raciocinios rebuscados, como só eu sei fazer, tive um "dez"! Não compreendo...
Houve colegas que tiveram negativa e não fiquei nada feliz com isso (não fico contente com desgraça alheia), porque sei que elas se mataram a estudar. Eu sei que por muito que lhes diga que vai tudo correr bem, que é só um teste, muitas não pensam assim e nos últimos tempos tenho sentido um fecho ao próximo.
Sinceramente? Acho rídiculo, porque já não somos pitas, nem temos necessidade de andar com estas coisas umas com as outras, até porque cada uma já tem a sua vida profissional construída, com objectivos futuros diferentes.
Será que a competição que existe no diurno, também se começa a revelar no pós-laboral?
Tenho aquele grupo com quem me dou melhor, com quem me identifico, mas também tenho um enorme receio de me desiludir com elas, porque afinal de contas somos seres humanos e cada uma tem a sua forma de estar na vida.
Eu não gostaria de me meter na minha "carapaça dura de caranguejo", porque quando isto sucede, é dificil de voltar a confiar e voltar a ser espontânea com quem me rodeia.
Por hoje é tudo, pois é só isto que anda aqui a remoer o meu coração...

2 comentários:

  1. Há coisas que nunca mudam, e a competição na faculdade é uma delas. Eu desde que soube da história em que um professor pediu para fazer um trabalho e a malta correu para a biblioteca para requisitar os livros necessários. Grave foi que depois de os utilizarem colocavam-nos em prateleiras erradas para que os colegas não os encontrassem...

    ResponderEliminar
  2. Ao contrário daquilo que se pensa, existe também à noite. Alias, acho que à noite ainda é pior... Sem explicação, mesmo. Muitas vezes acaba por cair no ridículo...

    Beijoo***

    ResponderEliminar

Bring it on!